Qual o verdadeiro papel do celebrante

Qual o verdadeiro papel do celebrante

A cerimônia é um dos momentos mais importantes e emocionantes em qualquer casamento, onde os noivos trocam seus votos e firmam o compromisso de começar uma nova vida, em busca de um lindo futuro a dois. É justamente neste momento que entre a figura do celebrante, um profissional especializado que pode colaborar inserindo um toque sensível e personalíssimo à celebração. Porém, muitas noivas ainda não conhecem ou confundem as atribuições desta pessoa tão importante, e aí vem a dúvida: qual o verdadeiro papel do celebrante?

Qual o verdadeiro papel do celebrante

Celebrante X cerimonialista

Muitos confundem as funções da cerimonialista com as do celebrante, porém, ambos possuem papéis muito distintos. A cerimonialista é a profissional que atua durante a cerimônia e recepção, cuidando da organização, aplicação dos protocolos e etiqueta, colaborando para que cada detalhe do grande dia funcione na mais perfeita ordem. O celebrante é a pessoa que irá conduzir a cerimônia, sendo a pessoa responsável pelo rito escolhido para o tão esperado sim.

Papel do Celebrante

Seja dentro ou fora da igreja, o celebrante é aquela pessoa que atua acolhendo noivos, padrinhos e convidados, conduzindo o rito da cerimônia do início ao fim. Estes profissionais podem, inclusive, oficializar o Casamento Civil, dependendo de sua habilitação. Suas funções dependerão do tipo de cerimônia adotada pelos noivos, seja ela religiosa, ecumênica, agnóstica ou de efeito civil. Eles são os responsáveis pelas bençãos, reflexões sobre a futura vida do casal, e até mesmo pela realização de ritos pré definidos pelos noivos, como o ritual das velas, da árvore, da lavagem dos pés, san-san-kudo, entre outros.

Tipos de celebrante

Atualmente, os noivos podem contar com 4 tipos de celebrante: religiosos, ecumênicos, agnósticos e juiz de paz. Cada um mantém caraterísticas específicas em relação ao rito que será utilizado durante a cerimônia.

Religiosos: aqui se enquadram pastores, padres, rabinos, etc. A maioria destes celebrantes, costumam seguir os ritos pré definidos de acordo com cada religião, e muitos não podem realizar celebrações fora dos templos e igrejas onde atuam. Neste caso, é possível celebrar um Casamento Religioso com Efeito Civil. O casal deve retirar a Certidão de Habilitação no cartório (documento que prova que ambos estão desimpedidos para realizar o casamento), e entregar em sua congregação para que ocorra a elaboração do Termo Religioso com Efeito Civil, documento que será assinado por noivos, padrinhos e celebrante ao final da cerimônia. Após o grande dia, o casal retira este termo e retorna ao cartório, para trocá-lo pela Certidão de Casamento.

Ecumênicos: estes profissionais estão aptos a realizar cerimônias de orientação religiosa, mas sem se ater a ritos pré definidos, e por isso, são muito procurados por casais que possuem religiões diferentes, além de pessoas que buscam por celebrações personalizadas, que evoquem todo o significado do momento. Este tipo de celebração permite que os noivos adotem rituais simbólicos, menções às suas religiões, e palavras que descrevam todos os sentimentos que os levaram ao altar.

Beatriz Moura Leite é a fundadora e idealizadora do Casamento Celta, e acredita que o amor deve ser celebrado de uma forma mais verdadeira e humanista. Psicóloga de formação, a celebrante busca criar cerimônias que enaltecem a importância da vida, da espiritualidade e do respeito entre pessoas e religiões.

Qual o verdadeiro papel do celebrante

Agnósticos: são celebrantes que não possuem vínculo com qualquer religião ou crença, não seguem liturgias, realizando celebrações neutras, mas com o cuidado de não ofender os presentes que possam estar ligados a algum meio religioso. Estas celebrações ganham vida através da personalização, onde rituais simbólicos podem ser inseridos, para deixar o momento ainda mais especial. O casal encontra artistas, jornalistas, professores, entre outros profissionais, que em algum momento se apaixonaram por esta profissão e passaram a se dedicar à realização de um casamento humanizado.

Juiz de Paz: também conhecido como Juiz Leigo, é um magistrado nomeado pela Secretaria de Justiça, que possui habilitação para realizar o Casamento Civil. Costuma ser procurado por casais que não desejam realizar um casamento religioso, atuando tanto no cartório, quanto nos chamados Casamentos em Diligência. No segundo caso, o profissional se dirige ao local da festa para realizar a cerimônia, sendo que alguns destes juízes, vêm se especializando em celebrações que podem ser personalizadas de acordo com o pedido do casal.

Acerte em sua escolha

Os noivos devem procurar por um profissional qualificado para realizar seu casamento, independente do tipo de cerimônia que será adotada. O primeiro ponto a ser observado, é a empatia entre noivos e celebrante, pois apenas desta forma, o mesmo conseguirá captar a essência do casal, para posteriormente traduzi-la em uma celebração repleta de significado. Outra questão importante, está relacionada a criatividade e modo de condução da cerimônia, pois os melhores celebrantes, conseguem controlar o nervosismo dos noivos, e possuem a capacidade de dar um toque de alegria e emoção a este grande momento.

Após definir o tipo de cerimônia que deseja realizar, marque um encontro com a pessoa escolhida para celebrar seu casamento, deixando claro seus desejos em relação ao grande dia. Personalizar é a palavra do momento, então aproveite para criar uma celebração que consiga traduzir todo o amor que sentem um pelo outro.

 

Fonte: Zankyou